Ícone WhatsApp

11 2296-3399

Origem do chá das cinco dos ingleses

O chá pode não ser o queridinho dos brasileiros, mas faz muito sucesso no Reino Unido e nos demais países da Europa, assim como no Oriente. O clima frio e a oferta do produto foram responsáveis por criar o hábito do consumo diário e deu origem a vários rituais. Um deles, bem conhecido no mundo todo, é o Chá das Cinco – o Five O’Clock Tea – dos ingleses.

O chá chegou à corte inglesa em cerimônias e banquetes por volta de 1662, junto com a princesa portuguesa Catarina de Bragança, filha de D. João IV, que viria a se tornar mulher do rei Charles II. No entanto, somente caiu nas graças da população dois séculos mais tarde. E essa mudança de gosto se deve a Anna Maria Russell, duquesa de Bedford, que sentia muita fome entre o almoço e o jantar. Para resolver o seu problema, ela adotou um lanchinho que incluía chá com leite e açúcar e ainda saboreava um salgado.

Não demorou muito e o lanche ganhou adeptos entre a aristocracia e a burguesia britânicas em suas casas, servido nas melhores porcelanas e pratarias. Logo, o que era realizado na intimidade dos lares se espalhou. E no seu rastro nasceram os salões de chá muito requintados que ultrapassaram as fronteiras da Inglaterra.

O Chá das Cinco permanece vivo, embora a rigidez de horário tenha sido abolida há tempos.  E existem até mesmo sommeliers de chá. A profissão é dedicada aos sabores, texturas e aromas da bebida. Considerado praticamente uma refeição, tamanha a quantidade de comes e bebes, o chá da tarde se tornou uma celebração entre amigos e programa obrigatório por quem passa pela Inglaterra.